fbpx

BLOG HOSPITAL

post-bariatrica-1200x698.jpg

Cirurgia bariátrica: Especialista do Hospital América de Mauá explica o procedimento, cuidados pré e pós-operatório e seus benefícios

A cirurgia bariátrica é um procedimento cirúrgico de redução de estômago que tem como finalidade proporcionar aos pacientes uma significativa perda de peso, bem como tratar as doenças associadas à obesidade. Realizada por um cirurgião especializado, a cirurgia é indicada quando o paciente não consegue perder o peso necessário com o tratamento clínico prévio. “A cirurgia bariátrica é indicada para pacientes portadores de obesidade mórbida, grau definido segundo uma classificação mundial denominada IMC (Índice de Massa Corpórea), que é calculada através do peso dividido pela altura ao quadrado (IMC = Peso/ Altura x Altura).

De acordo com esse cálculo: IMC 20 – 25: peso normal; IMC 25 – 30: obesidade grau l; IMC 30 – 35: obesidade grau II; IMC 35 – 40: obesidade grau III (mórbida). Os pacientes com IMC > 40 e entre 35 – 40 com doenças associadas à obesidade têm indicação de serem submetidos à cirurgia bariátrica”, explica o Dr. André Augusto Pinto, cirurgião bariátrico e prestador de serviços no Hospital América de Mauá.

A principal vantagem da indicação da cirurgia bariátrica é que o paciente perderá entre 30 a 40 % do peso e, se seguir todas as orientações, não reganhará peso, evitando aquele famoso efeito sanfona das dietas alimentares. “Além disso, a cirurgia bariátrica leva a uma perda de peso que é a maior entre todos os procedimentos conhecidos. Ela tratará as doenças associadas à obesidade, como a hipertensão arterial, diabetes mellitus, dislipidemias (colesterol e triglicérides elevados), esteatose hepática (gordura no fígado) etc.”, ressalta o doutor.

Atualmente, as cirurgias bariátricas são realizadas através da videolaparoscopia e tem duração de 60 a 120 minutos; o período de internação varia de 02 a 03 dias, caso não haja nenhuma intercorrência e a maioria dos pacientes não internam em UTI. “No SUS, ainda se faz algumas cirurgias convencionais, e a cirurgia robótica está sendo feita em alguns pacientes. Existem várias técnicas cirúrgicas e as mais realizadas são o By Pass gástrico e a Gastrectomia Vertical (Sleeve Gástrico), as duas com excelentes resultados”, comenta o médico.

As principais contraindicações da cirurgia bariátrica estão relacionadas especialmente a graves patologias cardíacas e pulmonares, pois aumentam muito o risco do procedimento cirúrgico. “Doenças psiquiátricas e transtornos psicológicos, como a compulsão alimentar não tratada, também são outras contraindicações, pois fazem com que os pacientes não obedeçam às orientações dietéticas pós-operatórias, causando riscos sérios à saúde dos pacientes operados”, pontua Dr. André.

A avaliação pré-operatória do paciente é feita através de exames laboratoriais, como: endoscopia digestiva alta, ultrassom de abdome total, além de avaliação com equipe multidisciplinar composta por endocrinologista, cardiologista, pneumologista, anestesista, psicólogos e nutricionistas. “Os principais cuidados pré-operatórios são: fazer uma boa avaliação clínica e multidisciplinar e perder em torno de 10% do peso, principalmente para aqueles pacientes muito obesos, o que facilitará significativamente o procedimento cirúrgico”, esclarece o especialista.

É fundamental no pós-operatório o paciente seguir as orientações do seu cirurgião e da equipe multidisciplinar, bem como mudar seus hábitos alimentares e modo de vida, introduzindo atividades físicas regulares, diminuindo o sedentarismo para que sua perda de peso seja satisfatória.

A cirurgia bariátrica está indicada para pacientes entre 18 e 70 anos. Pacientes entre 16 e 18 anos também podem ser submetidos à cirurgia, desde que tenham autorização de seus pais. “O Hospital América é um hospital de referência na região do ABC para cirurgia bariátrica. A equipe da cirurgia bariátrica foi implantada no hospital em 2010, coordenada pelo Dr. André A. Pinto, tendo como assistente o Dr. Bruno Ferrari Bolla, com auxílio do Dr. Victor Stefanato Alvarez e conta com toda a infraestrutura e tecnologia para o tratamento dos pacientes obesos, dispondo de centro cirúrgico, materiais e equipamentos de última geração. Contamos também com equipe multidisciplinar composta por cirurgiões bariátricos, endocrinologistas, cardiologistas, dermatologistas, pneumologistas, anestesistas, psicólogos e nutricionistas altamente especializados no tratamento e acompanhamento dos pacientes obesos, trabalhando em conjunto para uma cirurgia segura e um resultado pós-operatório de sucesso para todos os nossos pacientes, além do acompanhamento a longo prazo, com todo o suporte necessário para o sucesso da cirurgia , perda de peso satisfatória e melhora da sua qualidade de vida. Dispomos ainda de ambulatório com salas de atendimento especiais com maca, cadeiras e balanças próprias para os pacientes obesos”, finaliza.

Dr. André Augusto Pinto | Cirurgião bariátrico e prestador de serviços no Hospital América de Mauá | CRM 78.136 | Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica.


post-blefaroplastia-1200x698.jpg

Hospital América de Mauá disponibiliza cirurgia plástica que levanta pálpebras

A blefaroplastia é a uma cirurgia plástica rejuvenescedora da área dos olhos, na qual são retirados os excessos de bolsas de gordura e de pele, melhorando as rugas e a flacidez na região periorbitária (dos olhos). A cirurgia plástica costuma ser procurada por pacientes com mais de 40 anos, e, em alguns casos, acima dos 30. Ela é indicada para quem tem excesso e/ou flacidez de pele nas pálpebras e também para quem tem bolsas de gordura salientes, explica a Dra. Aline Ribeiro de Castro, cirurgiã plástica, prestadora de serviços no Hospital América de Mauá.

Antes do procedimento, é preciso realizar exames de rotina para saber as condições de saúde do paciente e alterações da coagulação. Se necessária, também é realizada uma avaliação com cardiologista e anestesista. Medicações anticoagulantes, como a AAS e anti-inflamatórios, devem ser evitados antes do procedimento. Também é recomendado interromper o tabagismo com pelo menos dois meses antes da cirurgia, ressalta a especialista.

A blefaroplastia é realizada com anestesia local ou anestesia geral, em ambiente hospitalar, e dura por volta de 1 hora a 1 hora e meia. Na cirurgia retiramos o excesso de pele das pálpebras e também o excesso de bolsas de gordura. A posição da cicatriz fica bem favorável e muito discreta, pois fica localizada na dobra da pálpebra superior. As cicatrizes nas pálpebras inferiores são ainda mais discretas, localizadas próximo aos cílios, esclarece a doutora.

No Hospital América de Mauá, os pacientes encontram médicos especializados, centro cirúrgico completo, UTI e equipe multidisciplinar diferenciada para melhor monitoramento em todas as indicações cirúrgicas e com rápida intervenção em casos de intercorrências. A cirurgia no Hospital América é realizada há vários anos, com equipe treinada e com alta segurança para o paciente. A sala de cirurgia é equipada com aparelhos de anestesia modernos para melhor monitoramento dos pacientes. Normalmente, a alta acontece no mesmo dia da cirurgia, com rápida recuperação pós-operatória, pontua a médica.

Pacientes com doenças crônicas, como diabetes, hipertensão e insuficiência cardíaca descompensadas, devem primeiro controlá-las, para depois se submeterem a cirurgias plásticas. Quem tem distúrbios de visão, como miopia ou hipermetropia, por exemplo, pode fazer a cirurgia sem qualquer problema.

O pós-operatório da blefaroplastia requer alguns cuidados para obtenção de um melhor resultado. O paciente deve usar as medicações prescritas pelo médico de maneira correta. O cigarro pode prejudicar a circulação e a cicatrização, por isso deve ser evitado. A aplicação de compressas frias ajuda a melhorar o edema e a equimose (mancha na pele). O uso de colírios e pomadas oftalmológicas pode estar indicado. O paciente deve fazer repouso e usar óculos escuros para evitar claridade excessiva, comenta Castro.

A blefaroplastia é uma cirurgia de baixo risco para o paciente, porém, como qualquer procedimento cirúrgico, pode ter complicações. Seus principais riscos são efeitos adversos a medicações anestésicas, cicatrizes hipertróficas e hematomas, que eventualmente podem ocorrer. Pode haver ressecamento dos olhos por um período de tempo, necessitando uso de colírios. Pode haver também dificuldade de fechar os olhos, disfunção na pálpebra envolvendo posição anormal das pálpebras superiores (ptose palpebral), pele solta na pálpebra, fechamento inadequado da pálpebra, com exposição da conjuntiva e frouxidão anormal da pálpebra inferior. O tratamento na maioria desses casos é conservador, com massagens e uso de pomadas, finaliza.

Dra. Aline Ribeiro de Castro | Cirurgiã plástica, prestadora de serviços no Hospital América de Mauá | CRM 132103 | Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.



HOSPITAL AMÉRICA

Rua Martin Afonso, 114
Vila Bocaina – Mauá/SP
Telefone: (11) 4544.2085





ACOMPANHE NOSSAS

Redes Sociais



Hospital 2019. Todos os Direitos Reservados.