fbpx

BLOG HOSPITAL

09NOV-F-1200x888.png

Uma dieta balanceada é a solução para manter o sistema imunológico em dia

O sistema imunológico é responsável pelo reconhecimento e pelo combate de micro-organismos invasores patogênicos (bactérias e vírus), evitando, assim, o desenvolvimento de doenças e diminuindo a ocorrência de possíveis sintomas. De acordo com Barbara Costa de Oliveira, nutricionista clínica do Hospital América de Mauá, para assegurar o funcionamento adequado do nosso sistema imunológico, é de extrema importância garantir a ingestão dos nutrientes necessários, por isso nossa dieta deve ser bastante diversificada e colorida, já que as cores dos alimentos indicam qual o nutriente que possuem em maior quantidade. “Devemos levar em consideração que os macro e micronutrientes são essenciais para o bom funcionamento do organismo de uma forma geral. Se um indivíduo não se alimentar bem, poderá ter disfunção nas ações do seu sistema imunológico, o que o deixará mais susceptível ao ataque de micro-organismos patológicos (doenças)”, explica.

Macronutrientes e micronutrientes

Macronutrientes

Proteínas: presentes em carne vermelha (prefira as carnes mais magras), carne suína, aves e peixes (os de água fria, como salmão, sardinha, atum, truta etc., são ricos em ômega 3);

Carboidratos: dê prioridade aos complexos, como arroz integral, batata-doce, aveia, pães integrais, entre outros. Os alimentos integrais são ricos em fibras e auxiliam no bom funcionamento do intestino e na redução dos níveis de colesterol, além de evitar picos glicêmicos, que têm ação inflamatória no organismo;

Lipídios (óleos): existem diversos tipos de óleos disponíveis no mercado, cada um deles com um tipo de benefício para a saúde. Deve-se atentar, porém, para quando utilizá-los: em preparações quentes, como frituras e refogados, prefira banha de porco ou óleo de coco; em saladas ou preparações que não precisam ir ao fogo, use óleo de canola, azeite extravirgem e óleo de girassol.

Micronutrientes

São as vitaminas e os minerais, que desempenham um papel fundamental no bom funcionamento do sistema imunológico.

Vitamina C: presente principalmente nas frutas cítricas, como laranja, acerola, kiwi e tomate, pode ser encontrada também no brócolis, na couve e no pimentão verde e vermelho, que são ricos em antioxidante e aumentam a resistência do organismo;

Ácido fólico: auxilia na formação de glóbulos brancos, responsáveis pela defesa do organismo. Esse nutriente está presente em maior concentração em alimentos verde- escuros, como escarola, brócolis, couve, espinafre, entre outros;

Zinco: auxilia no tratamento de doenças de alta gravidade, como AIDS, artrite reumatoide e lúpus. A deficiência desse nutriente é prejudicial para a digestão e para o paladar, pois pode provocar a redução da percepção do gosto e, portanto, a diminuição do apetite. O zinco está presente em maiores quantidades em nozes, ovos, farinha de trigo integral, carnes bovinas, peixes, aves, leite e derivados, mariscos e feijão.

Licopeno: presente em alimentos com coloração avermelhada, como tomate, cenoura, goiaba, caqui, cereja etc. É um forte aliado no combate de doenças cardiovasculares, pois colabora para a remoção de radicais livres do organismo, que são compostos que contribuem para o envelhecimento celular e deixam o corpo mais propício a desenvolver doenças.

Vitamina A: presente em alimentos de coloração avermelhada e também em carnes, principalmente em vísceras, como fígado, moela e coração, é responsável por diversas funções no organismo, como manter a saúde da visão, da pele e dos cabelos, fortalecer o sistema imunológico e garantir o bom funcionamento dos órgãos reprodutivos. Por ter ação antioxidante, também é importante na prevenção do envelhecimento precoce, de doenças cardiovasculares e de câncer.

Ainda segundo a nutricionista, para manter o equilíbrio do organismo, os nutrientes devem ser ingeridos regularmente, por isso é importante ter uma rotina alimentar adequada, sempre priorizando o consumo de alimentos de acordo com os benefícios que podem trazer em cada estação do ano. “Por exemplo, no outono e inverno, as frutas cítricas, que são ricas em vitamina C, auxiliam na prevenção de resfriados. No verão, a água de coco, que é rica em eletrólitos, auxilia a manter uma hidratação de qualidade. Frutas como melão, melancia, limão e maçã são ricos em potássio, magnésio e vitamina B6, que auxiliam na diminuição da retenção de líquidos. Já os leites fermentados e o kefir são ricos em probióticos e auxiliam na manutenção do equilíbrio da microbiota intestinal, evitando a proliferação de micro-organismos”, conclui a especialista.

 



Cirurgias Plásticas

Saiba a diferença entre cirurgia plástica estética e reparadora

A cirurgia plástica age no intuito de corrigir uma imperfeição, seja ela congênita ou adquirida durante a vida, e o cirurgião plástico é o profissional habilitado para realizar esse procedimento de reconstrução ou modificação. Existem, porém, diferenças entre a cirurgia plástica reparadora e a estética, conforme explica a Dra. Giselle Munhoz, cirurgiã plástica e prestadora de serviços no Hospital América de Mauá: “A cirurgia reparadora é indicada por razões médicas. Quando o paciente tem uma doença que lhe traz algum transtorno, ele busca, por meio da cirurgia, reparar esse aspecto. Já a cirurgia plástica estética não está relacionada a uma doença ou a um problema físico, mas a algo que o paciente gostaria de melhorar esteticamente, como aumentar a mama. A cirurgia plástica mais comum atualmente é o implante da prótese mamária, seguida da lipoaspiração, das pálpebras e das cirurgias no nariz e abdômen”.

Antes de realizar a cirurgia plástica, é fundamental que o paciente siga todas as orientações passadas no pré-operatório, como esclarece a Dra. Giselle: “Existem instruções específicas para cada cirurgia. No geral, se o paciente tiver uma boa dieta, ele não apresentará nenhum déficit nutricional capaz de acarretar algum problema de cicatrização. Uma pele boa, hidratada, ajudará na recuperação e menor será o risco de aparecimento de estrias. Não se deve fumar de jeito nenhum, porque o tabagismo interfere ativamente, piorando a cicatrização e gerando complicações no pós-operatório”.

A escolha do profissional que fará a cirurgia plástica deve ser feita com cautela, por isso é indispensável buscar informações sobre o especialista. Para se formar em cirurgia plástica, é preciso, além dos seis anos da faculdade de medicina, dois anos de especialização em cirurgia geral e mais três anos de especialização em cirurgia plástica, totalizando onze anos de formação. De acordo com a Dra. Giselle, o paciente deve verificar se o profissional escolhido é realmente apto para realizar cirurgias plásticas: “Os cirurgiões plásticos devidamente habilitados estão credenciados na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Antes de escolher o profissional, o paciente pode acessar a página da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e se certificar de que o médico que fará sua cirurgia é membro, além de se informar se o profissional tem uma boa formação. É importante também que o paciente converse bastante com o seu cirurgião e analise se há empatia no atendimento, pois é essencial que o paciente goste do médico. Ter indicações de outros pacientes que já realizaram cirurgias com o profissional escolhido também é uma forma de saber se haverá uma boa evolução pós-operatória”.

No Hospital América, além de toda a equipe médica possuir título de especialista, são disponibilizados todos os exames necessários durante o pré e pós-operatório, como lembra Dra. Giselle: “O Hospital América é certificado pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), garantindo ao paciente excelência em atendimento. É um hospital que está preparado para tudo de que o paciente precisar. Temos exames laboratoriais, de imagem e também drenagens, realizadas pelas fisioterapeutas do hospital”.

Cirurgias Plásticas
Cirurgias Plásticas

post-bariatrica-1200x698.jpg

Cirurgia bariátrica: Especialista do Hospital América de Mauá explica o procedimento, cuidados pré e pós-operatório e seus benefícios

A cirurgia bariátrica é um procedimento cirúrgico de redução de estômago que tem como finalidade proporcionar aos pacientes uma significativa perda de peso, bem como tratar as doenças associadas à obesidade. Realizada por um cirurgião especializado, a cirurgia é indicada quando o paciente não consegue perder o peso necessário com o tratamento clínico prévio. “A cirurgia bariátrica é indicada para pacientes portadores de obesidade mórbida, grau definido segundo uma classificação mundial denominada IMC (Índice de Massa Corpórea), que é calculada através do peso dividido pela altura ao quadrado (IMC = Peso/ Altura x Altura).

De acordo com esse cálculo: IMC 20 – 25: peso normal; IMC 25 – 30: obesidade grau l; IMC 30 – 35: obesidade grau II; IMC 35 – 40: obesidade grau III (mórbida). Os pacientes com IMC > 40 e entre 35 – 40 com doenças associadas à obesidade têm indicação de serem submetidos à cirurgia bariátrica”, explica o Dr. André Augusto Pinto, cirurgião bariátrico e prestador de serviços no Hospital América de Mauá.

A principal vantagem da indicação da cirurgia bariátrica é que o paciente perderá entre 30 a 40 % do peso e, se seguir todas as orientações, não reganhará peso, evitando aquele famoso efeito sanfona das dietas alimentares. “Além disso, a cirurgia bariátrica leva a uma perda de peso que é a maior entre todos os procedimentos conhecidos. Ela tratará as doenças associadas à obesidade, como a hipertensão arterial, diabetes mellitus, dislipidemias (colesterol e triglicérides elevados), esteatose hepática (gordura no fígado) etc.”, ressalta o doutor.

Atualmente, as cirurgias bariátricas são realizadas através da videolaparoscopia e tem duração de 60 a 120 minutos; o período de internação varia de 02 a 03 dias, caso não haja nenhuma intercorrência e a maioria dos pacientes não internam em UTI. “No SUS, ainda se faz algumas cirurgias convencionais, e a cirurgia robótica está sendo feita em alguns pacientes. Existem várias técnicas cirúrgicas e as mais realizadas são o By Pass gástrico e a Gastrectomia Vertical (Sleeve Gástrico), as duas com excelentes resultados”, comenta o médico.

As principais contraindicações da cirurgia bariátrica estão relacionadas especialmente a graves patologias cardíacas e pulmonares, pois aumentam muito o risco do procedimento cirúrgico. “Doenças psiquiátricas e transtornos psicológicos, como a compulsão alimentar não tratada, também são outras contraindicações, pois fazem com que os pacientes não obedeçam às orientações dietéticas pós-operatórias, causando riscos sérios à saúde dos pacientes operados”, pontua Dr. André.

A avaliação pré-operatória do paciente é feita através de exames laboratoriais, como: endoscopia digestiva alta, ultrassom de abdome total, além de avaliação com equipe multidisciplinar composta por endocrinologista, cardiologista, pneumologista, anestesista, psicólogos e nutricionistas. “Os principais cuidados pré-operatórios são: fazer uma boa avaliação clínica e multidisciplinar e perder em torno de 10% do peso, principalmente para aqueles pacientes muito obesos, o que facilitará significativamente o procedimento cirúrgico”, esclarece o especialista.

É fundamental no pós-operatório o paciente seguir as orientações do seu cirurgião e da equipe multidisciplinar, bem como mudar seus hábitos alimentares e modo de vida, introduzindo atividades físicas regulares, diminuindo o sedentarismo para que sua perda de peso seja satisfatória.

A cirurgia bariátrica está indicada para pacientes entre 18 e 70 anos. Pacientes entre 16 e 18 anos também podem ser submetidos à cirurgia, desde que tenham autorização de seus pais. “O Hospital América é um hospital de referência na região do ABC para cirurgia bariátrica. A equipe da cirurgia bariátrica foi implantada no hospital em 2010, coordenada pelo Dr. André A. Pinto, tendo como assistente o Dr. Bruno Ferrari Bolla, com auxílio do Dr. Victor Stefanato Alvarez e conta com toda a infraestrutura e tecnologia para o tratamento dos pacientes obesos, dispondo de centro cirúrgico, materiais e equipamentos de última geração. Contamos também com equipe multidisciplinar composta por cirurgiões bariátricos, endocrinologistas, cardiologistas, dermatologistas, pneumologistas, anestesistas, psicólogos e nutricionistas altamente especializados no tratamento e acompanhamento dos pacientes obesos, trabalhando em conjunto para uma cirurgia segura e um resultado pós-operatório de sucesso para todos os nossos pacientes, além do acompanhamento a longo prazo, com todo o suporte necessário para o sucesso da cirurgia , perda de peso satisfatória e melhora da sua qualidade de vida. Dispomos ainda de ambulatório com salas de atendimento especiais com maca, cadeiras e balanças próprias para os pacientes obesos”, finaliza.

Dr. André Augusto Pinto | Cirurgião bariátrico e prestador de serviços no Hospital América de Mauá | CRM 78.136 | Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica.



HOSPITAL AMÉRICA

Rua Martin Afonso, 114
Vila Bocaina – Mauá/SP
Telefone: (11) 4544.2085





ACOMPANHE NOSSAS

Redes Sociais



Hospital 2019. Todos os Direitos Reservados.